terça-feira, 26 de março de 2013

Até Quando???

Delírios de Débora Bandeira.

Deixemos de sair às ruas para fazer nossos manifestos, porque hoje isso não funciona mais! A maneira correta de evitarmos a canalhice total na política é sabendo votar!!! 


Ah, mas antes de aprendermos a votar, aprendamos a ser cidadãos dignos também. Até porque a corrupção não sai da política pro povo e sim do povo pra política!!! 

segunda-feira, 25 de março de 2013

Livro Diablo III: A Ordem - Nate Kenyon.


Classificação Pessoal: Bom.

Inspirado no mais aguardado jogo de compputador de todos os tempos:

- Bestseller do New York Times. 
- A Blizzard é responsável pelos bem-sucedidos games World of Warcraft, Warcraft, Starcraft e Diablo. 
- Treze de seus jogos chegaram ao primeiro lugar em vendas e receberam diversos prêmios de Jogo do Ano. 

- Seu serviço de jogos online é o maior do mundo, com milhões de usuários ativos. 



Baseado no game Diablo III lançado em março de 2012 nos Estados Unidos (e no início de junho no Brasil) após uma década de espera pelos fãs, com mais de 3,5 milhões de cópias vendidas em um dia e mais de 7 milhões em uma semana, quebrando diversos recordes de venda, o romance narra a jornada épica de Deckard Cain, último sobrevivente de uma misteriosa e lendária ordem, Horadrim, na busca pelos outros integrantes perdidos, para salvar o mundo de Santuário das forças demoníacas do Inferno Ardente, anos antes dos acontecimentos do jogo. O autor, Nate Kenyon, é finalista do prêmio Bram Stoker, da Associação de Escritores de Terror. 

Deus.

A Fotografia Perfeita.

Zupi

Para conseguir a foto perfeita é preciso que ocorram as 3 seguintes situações:
1. Lugar Perfeito
2. Hora Perfeita
3. Ângulo Perfeito
Abaixo você confere a segunda parte da série “A Fotografia Perfeita”, com 10 fotografias que conseguiram preencher os 3 requisitos acima e, além disso, com algumas delas você poderá dar muitas risadas.
snowboarder-walking-on-moon-perfect-timing
Fotografia por Frode Sandbech

lightning-rainbow-perfect-timing
Fotografia por Florian Schüppel

starbucks-fail-van-perfect-timing
Fotografia por heuristicus on Reddit

underwater-fish-photobomb-animal-photobombs
Forografia por Nick Kelly

obama-wizard-perfect-timing
Fotografia po CAROLYN KASTER

eiffel-tower-crane-perfect-timing
Fotografia por PDP-11 on Reddit

soldier-yawning-perfect-timing
Fotografia por Bored Panda

praying-mantis-bike
Fotografia por Tustel Ico

statue-cloud-perfect-timing
Fotografia via Loco Lol

budweiser-crown-ref-perfect-timing

A Falácia do Argumento de "Liberdade de Expressão" Empregada _Pelos Crentes Contra os Homossexuais.





Os crentes homofóbicos que querem continuar a tratar a homossexualidade como "a" aberração contra Deus (Deus esse que tolera mataram-no o Filho, alias, ele mesmo mata, o Filho e quem mais lhe aparecer pela frente, mas não tolera o sexo entre duas mulheres e entre dois homens) alegam que têm o direito a dizer deles, homossexuais, e dela, a homossexualidade, o que a Bíblia diz... É a Bíblia que diz, eles berram, é o próprio Deus que o disse, eles palreiam...

Alegam (será consciente, a falácia? - ou é mera estupidez, provocada pelo medo e pelo atordoamento?) que os direitos civis a gays o Congresso já deu, mas amordaçar-lhes a boca de Deus, a boca de Jesus, a boca do Espírito Santo, com o que demonizam e humilham os gays, isso a sociedade não pode fazer! Não podem amordaçar a Bíbnlia, não podem calar o próprio Deus!, eles perdigotam pelas ruas...

Bem, vem cá, ó defensor da Bíblia, ó paladino da liberdade de expressão: por que você não reclama que não se pode mais defender a escravidão? O Congresso proibiu, a sociedade recusa, mas a Bíblia manda escravizar e matar cananeus... Deus mesmo, pessoalmente mandou. E te calas? Traidor!

Por que você não se insurge contra a campanha de não bater em crianças? A Bíblia manda meter a vara (sem trocadilhos!) no menino, porque assim ele aprende, mas a sociedade hoje não quer nem palmada - e você não pragueja pela janela, pragueja? Por que não vejo você nas redes, a resmungas, a reclamar, a encher o saco? Calaram Deus e tu te calas? Blasfemo!

Por que você não se insurge, em praça pública, contra a sociedade que concede direitos civis às mulheres - quando a Bíblia inteira, você sabe, só reconhece um ser, em toda a criação, como detentor de direitos civis e subjetividade - o macho, o "tu" da Lei? Deus pôs a mulher ao lado do jumento e da casa do próximo, objeto dele, tábua escrita com o próprio dedo divino, e tu te calas quando a humanidade vil quer impedir vara e chinelas? Não defendes teu Deus? Apóstata!

Acho você um pouco seletivo. Aliás, acho você muito seletivo. E hipócrita, por conseguinte... Traidor de Deus, blasfemo e apóstata...

Mas, na causa gay, vejo-te firme... Firme até demais... Seletivo e firme... Vejo-te em gozos...

Olhe-se no espelho: e pergunte-se por que, realmente, tem tanto problema com a homossexualidade... Não te importas de terem calado Deus em outras questões, mas nessa, na questão da homossexualidade, nessa te importa totalmente que Deus não seja calado...

Por quê?

Será o ricochete psicológico de negar ao outro o que o próprio corpo pede e, então, transferir para a sociedade a interdição de você mesmo, para que possa lavar as mãos quanto ao seu próprio destino?

Páscoa: Jesus Alerta-Vos!

Willtirando

Jesus-Economista

Nível do Rio Acre.

Prefeitura de Rio Branco.


Acrobatas.



"Acre, rio estranho, cheio de curvas e barrancos, um rio torto que não vê o mar". O "rapaz" que segura o cabelo, vestido de camiseta verde e saia jeans era o mais corajoso do trio. Clique aqui e euça Rio Estranho.

Um Passeio Pelas ‘Ruínas’ do Orkut, Uma Cidade Fantasma.


N.B.: Putz, não deveria ter excluído o meu!!! Hehehehe


Que fim levou aquela que já foi a maior rede social do país e por onde andam alguns dos seus membros mais ativos
Hoje esvaziado, site vive onda nostálgica que reverencia suas hilárias comunidades em outros fóruns na internet
Maurício Cid, que criou 1.024 comunidades e agora tem blog “Não Salvo”, é um dos “órfãos”
João Mascarenhas foi dono da maior comunidade que existiu, a “Eu odeio acordar cedo”, com 6,1 milhões de usuários: vendeu-a em 2009, por R$ 4 mil. (foto: O Globo / Camilla Maia)
João Mascarenhas foi dono da maior comunidade que existiu, a “Eu odeio acordar cedo”, com 6,1 milhões de usuários: vendeu-a em 2009, por R$ 4 mil. (foto: O Globo / Camilla Maia)

Uma das última vezes que escrevi uma frase no Orkut foi em abril de 2010. Eu tinha 28 anos, morava em São Paulo e acabara de aparecer, por acaso, no programa de Ana Maria Braga. Uma parente, que me vira na TV, escrevera na minha página da comunidade social: “Ninguém aparece na Ana Maria Braga para responder ‘pegadinhas’ impunemente!” Retruquei com uma piada (“Flagrado pela própria família!”), e fechei a página. Era 19 de abril de 2010. Desde então, meu perfil no Orkut tornou-se um moribundo virtual.
Criado em janeiro de 2004 pelo engenheiro turco Orkut Büyükkökten, de quem herdou o nome, o Orkut foi, por seis anos, a maior rede social da internet no Brasil — de onde vinha metade dos 70 milhões de usuários que chegou a ter. Em 2008, o Google — empresa que opera o Orkut — transferiu o controle do site da Califórnia para Belo Horizonte. A iniciativa, que visava fortalecer o site ainda mais no país, teve efeito limitado: dali a dois anos, o Orkut seria ultrapassado pelo Facebook (a rede social de Marck Zuckerberg, que congrega mais de um bilhão de usuários mundo afora). Em fevereiro deste ano, de acordo com estimativa feita a partir de cem mil computadores pela ComScore, consultoria que mede a audiência da internet, o Orkut teve 17 milhões de visitantes no Brasil. O número foi quatro vezes menor do que o registrado para o Facebook no mesmo período.
— Entrei pela última vez há quatro meses, e foi melancólico — lembra, por telefone, o jornalista Alexandre Inagaki, ex-curador de mídias sociais da Campus Party (maior feira de internet no Brasil). — As comunidades mais interessantes estavam paradas, minha página estava cheia de spams escabrosos. O Orkut virou um museu de grandes novidades.
Desde que há internet, há troca de mensagens. Desde que há troca de mensagens, há comunidades sociais. A primeira, Classmates, foi criada em 1995, para congregar estudantes de escolas e universidades americanas. Nos anos seguintes surgiram MirC, MySpace, LinkedIn, MSN (esse extinto pela Microsoft no ano passado, por falta de uso). Todas tiveram relativo sucesso no país, mas nada que se comparasse à hegemonia conquistada pelo Orkut.
Nascido numa empresa americana, o Orkut visava, inicialmente, o mercado americano. Em janeiro de 2004 — primeiro mês de funcionamento —, dos dez países com mais usuários, o Brasil ocupava a oitava colocação. Em abril daquele ano, já subira para terceiro, atrás dos Estados Unidos e do Japão. Dois meses depois, no dia 23 de junho, conquistou a primazia — posto do qual jamais seria retirado. Havia ali um traço da sociedade brasileira, mas também um acaso: em paralelo, outras redes sociais cresciam em outros países (Hi5 no México, Friendster na Malásia, Facebook nos Estados Unidos).
O Orkut surgiu de forma excludente: entrava-se na rede mediante convite. Da primeira leva de brasileiros a se aventurar, constavam a jornalista Cora Rónai e o antropólogo Hermano Vianna. O meu convite chegou em março de 2005, por intermédio de uma amiga. Nós tínhamos 23 anos, estávamos no segundo ano de Jornalismo, conversávamos muito pelo computador. No Orkut, há resquícios de mensagens nossas sobre um dente siso que ela tirara, sobre o quarto casamento de Roberto Justus e sobre a festa de uma amiga de quem éramos próximos, e com quem nunca mais falamos.
Para advogado, rede é um documento histórico sobre o Brasil
Estão marcados, no meu histórico, o dia em que consegui meu primeiro emprego (“Caracas!!!! Qual vai ser o seu horário???”, perguntou uma amiga), o dia em que sofri um acidente, que me deixou um mês acamado (“Vc tá melhor???? Fiquei sabendo”, escreveu minha prima), o dia em que entrei para uma comunidade de fãs do deputado Paulo Maluf (“Vou te espancar!”, bradou uma paulistana).
Está lá a primeira mensagem que recebi de uma moça que viria a ser minha namorada (“Você é capcioso”) e a última que ela escreveu antes de terminarmos (“Você está sendo irônico?”). Entre março de 2005 e agosto de 2011, 2.344 mensagens foram escritas por amigos no meu perfil. Elas formam um retrato do que eu fui (ou aparentei ser) naquele período — mas não só. Quando o foco é ampliado para todos os perfis, de todos os usuários que restaram, há, ali, um retrato do que foi uma parcela do Brasil naquele período.
— O Orkut é o documento mais importante de dado primário da década passada, tão importante quanto os processos judiciais — diz o advogado especializado em direito digital Ronaldo Lemos. — No futuro, pesquisadores que forem ao Orkut vão entender numa escala microscópica o que estava acontecendo no país naquele momento. Está tudo lá: moda, política, sem falar na inclusão social.
Diretor do Centro de Tecnologia e da Sociedade da Escola de Direito da Fundação Getúlio Vargas, Lemos defende que o conteúdo do Orkut deveria ser preservado pela Biblioteca Nacional ou pelo próprio Google (embora não tenha tido uma conversa formal com nenhuma das duas instituições). A ideia é calcada no exemplo da Library of Congress, a biblioteca do congresso americano que, desde 2010, compilou 170 bilhões de mensagens escritas no microblog Twitter, acreditando no valor histórico que possam vir a ter.
Ele diz não conhecer uma única pessoa que acesse o Orkut regularmente. Suas visitas à comunidade costumam ser melancólicas:
— Fico deprimido, sempre que entro, com as propagandas pedindo para eu me converter ao Google+ (rede social criada pela empresa americana em 2011, como tentativa de responder ao avanço do Facebook). O Google quer que todo mundo saia do Orkut.
Hoje, o usuário que tenta acessar o Orkut se depara com uma mensagem do próprio Google oferecendo um “upgrade de seu perfil”. Quem aceita tem todas as fotos e informações abduzidas pelo Google+. Quem ignora permanece, qual o último marinheiro a deixar o navio, na página do Orkut.
Procurado ao longo de uma semana, o Google respondeu com uma declaração genérica sobre a possibilidade de o Orkut ser extinto (a exemplo do que vai ocorrer com o aplicativo Google Reader em julho): “Construímos muitas integrações entre o Orkut e o Google+, incluindo a possibilidade de unificação de perfis e também de compartilhamento de posts entre eles.” Declarou ainda que não há planos de juntar as duas comunidades.

domingo, 17 de março de 2013

Delírios de Uma Abelha Rainha.

100° Delírio de Mim Mesma.



Resolvi estrear minha bike hoje, e lá pelas tantas levei uma ferrada de abelha que fez doer meu corpo todo. Interessante como essa ferrada também me fez refletir sobre algumas coisas e abriu a minha mente pra fazer o centésimo delírio.

Do primeiro delírio pra cá, passaram-se três anos e meio. Comecei com um delírio sobre religião, política e direitos civis. Fiz homenagens, falei do meu amor por uma mulher, do amor por minhas mulheres, e do amor pelos meus homens. Me revoltei, transbordei de alegria, vivi meus lutos, ensinei, aprendi e escrevi, como escrevi!

Tem muito sobre pouco, e embora eu precise ampliar meu leque de temas, esse pouco já me completa. Minhas frases falam tudo e nada sobre mim. Na maioria das vezes uma contradiz a outra, o que mostra que meus pensamentos e opiniões mudam o tempo todo, de acordo com o momento vivido.

Não tenho problema em mudar de opinião, tenho problema em ter verdades absolutas, porque quem as tem não se abre para ouvir outras opiniões.

E o que a abelha tem a ver com isso? A abelha é uma criaturinha muito sagaz e sempre mais rápida que a outra abelha. Hoje uma foi mais rápida que eu e amanhã eu serei mais rápida que outra.

Minha mãe não podia ter escolhido nome mais adequado pra mim, sou um misto de ferrão e doçura. O ferrão que fere o outro é o mesmo que me destrói, e a doçura que compartilho com minha colmeia é a mesma que me reconstrói sempre. Minha doçura e meu ferrão estampam-se nas palavras que escrevo.

Continuarei delirando, muitas vezes de maneira doce e muitas vezes soltando meus ferrões, mas sempre expressando as minhas novas e 'velhas opiniões formadas sobre tudo'.






Para acessar os outros 99 delírios, procure a sessão "Delírios de Débora Bandeira" no canto direito do blog, conforme ilustra a imagem ao lado:


Livro Nada a Perder: Momentos de Convicção Que Mudaram Minha Vida - Livro 1 - Edir Macedo e Douglas Tavolaro.

Classificação Pessoal: Ainda sem classificação.


Como um brasileiro comum decide pregar sua fé nas ruas e praças públicas e, 35 anos depois, lidera uma Igreja atuante em mais de 200 países com milhões de fiéis nos lugares mais remotos do planeta? Como tudo isso começou? Como ele se tornou proprietário da segunda maior emissora de televisão do Brasil? Quais os dilemas e os desafios interiores enfrentados no início dessa jornada? Qual a origem dessa crença capaz de superar limites? 

Segredos guardados por décadas. Momentos de decisão e descobertas espirituais contadas, com riqueza de detalhes, pelas próprias palavras de um dos principais líderes evangélicos do mundo. No primeiro volume de sua trilogia de memórias, o bispo Edir Macedo nos surpreende com revelações profundas. Uma comovente volta ao passado com lições para o presente e o futuro. Experiências tocantes com aprendizados para a vida. 

Pai Fotografa Filha Incorporando Personagens de Obras de Arte Famosas.



O pai e fotógrafo Bill Gekas retratou sua filha simulando várias obras icônicas da cultura mundial. Desde o lado mais pop, até obras artísticas de grandes nomes da pintura mundial, como Caravaggio, Vermeer, Rembrandt, Raphael, Velazquez e outros. Vale a pena conferir!

Também ressalto que o literatortura, a partir de agora, terá, provavelmente, duas colunas semanais de fotografia. Uma que traga ensaios originais e diferenciados, e outra que fale da parte mais técnica da fotografia, em parceria com uma colega que possui um excelente site sobre o assunto. Se tudo der certo, os trabalhos voltados para essa área já devem começar nesta semana mesmo! 

Sean Penn Faz Churrasco Para Ator Brasileiro Com Síndrome de Down; Veja Foto do Encontro.


O sonho do ator Ariel Goldenberg, do filme "Colegas", de encontrar o astro Sean Penn foi realizado nesta sexta-feira (15), em Los Angeles. De acordo com Marcelo Galvão, diretor do longa, o brasileiro foi com a mulher, Rita Pokk, à casa de Penn, na praia de Malibu, sem avisar e tocou a campainha.

"Foi tudo de surpresa. Teve uma americana no local dizendo que essas coisas são proibidas e que chamaria a polícia se tocássemos a campainha. Mas o próprio astro atendeu e, como conhecia a campanha Vem Sean Penn, foi superbacana com Ariel", conta à Folha o cineasta, que ficou no Brasil por causa de problemas no visto e mandou dois assistentes para acompanhar a empreitada.

Folha recebeu a foto do encontro com exclusividade.

"Nós batemos na porta com a cara e a coragem. Eu achava que era a maior roubada do mundo, que éramos loucos, mas ele [Sean Penn] atendeu [a porta]", disse Carlos Cardinalli, amigo de Ariel e de Galvão que mora em San Diego (Califórnia) e está ajudando na viagem. "Penn o chamou para andar na praia e fez um churrasco para Ariel, que ficou muito feliz."

O ator hollywoodiano, segundo o diretor, pensou em viajar para o Brasil para encontrar Ariel Goldenberg e o elenco de "Colegas", mas não queria sua imagem ligada a nenhum tipo de patrocínio. "Em compensação, Penn tirou da parede o certificado de sua indicação ao Oscar por 'Uma Lição de Amor' e deu para Ariel com um pôster autografado", revela Galvão.

Protagonizado por um trio de atores com síndrome de Down (incluindo Ariel Goldenberg e Rita Pokk), "Colegas" já foi visto nos cinemas por mais de 96 mil pessoas ao longo de duas semanas em cartaz.
Arquivo pessoal
O ator Ariel Goldenberg com seu ídolo, o também ator Sean Penn
O ator Ariel Goldenberg com seu ídolo, o também ator Sean Penn

Zé Carlos Barretta/Folhapress
O casal Rita Pork e Ariel Goldenberg no apartamento em que moram, em São Paulo
O casal Rita Pokk e Ariel Goldenberg no apartamento em que moram, em São Paulo

Vida!!!

Delírios de Mim Mesma.


Cardeal Que Participou de Eleição do Papa Diz Que Pedofilia 'Não é Crime'.


N.B.: Quanto mais eu rezo, mais palhaçada me aparece!!! Vôti!!!

Sacerdote sul-africano defende que pedófilos ‘são doentes’ e não podem ser punidos; declarações causam indignação entre vítimas de abusos.
Para Cardeal Napier, pedófilos 'não merecem' ser punidos foto:  Reuters
Para Cardeal Napier, pedófilos ‘não merecem’ ser punidos. foto: Reuters.

O arcebispo sul-africano Wilfrid Fox Napier – um dos 115 cardeais que participaram da eleição do novo papa – defendeu neste sábado que a pedofilia seria uma “doença” psicológica, “não uma condição criminal”, causando indignação entre especialistas e vítimas de abusos de sacerdotes da Igreja Católica.
Em entrevista à Radio 5, da BBC, Napier disse que, no geral, pedófilos são pessoas que sofreram abusos quando eram crianças e por isso eles precisam ser examinados por médicos especializados.
“(A pedofilia) é uma condição psicológica, uma desordem”, afirmou o arcebispo. “O que você faz com transtornos? Você tem que tentar consertá-los.”
Napier disse que conhecia pelo menos dois sacerdotes pedófilos, que teriam sofrido abusos quando crianças.
“Se alguém ‘normal’ escolher quebrar a lei, sabendo que está quebrando a lei, então eu acho que precisa ser punido”, disse.
“Agora não me diga que essas pessoas (pedófilos) são criminalmente responsáveis, como alguém que escolhe fazer algo assim. Eu não acho que você pode realmente tomar a posição de dizer que a pessoa mereça ser punida. Ele mesmo foi afetado (na infância).”
As declarações foram feitas em um momento em que a Igreja Católica está bastante abalada por causa dos escândalos de abusos sexuais cometidos por seus sacerdotes em diversos países.
Indignação
Os comentários de Napier foram amplamente criticados por especialistas, vítimas dos padres pedófilos e grupos de defesa dos direitos das crianças.

“Pode ser que (pedofilia) seja uma doença, mas também é um crime e os crimes são punidos. Os criminosos são responsabilizados pelo que fizeram e o que fazem”, diz Barbara Dorries, que foi vítima de abusos por parte de um padre quando era criança e hoje trabalha para uma ONG com sede em Chicago que trata do tema.
“Os bispos e os cardeais contribuíram muito para que esses predadores seguissem em frente, sem serem presos, e também para manter esses segredos dentro da igreja.”
Para Michael Walsh, que escreveu uma biografia do falecido papa João Paulo 2º, as declarações do cardeal Napier refletem uma posição que já foi comum na Igreja Católica no Reino Unido e nos Estados Unidos.
“Eles chegaram a acreditar que essa era uma condição que podia ser tratada. Muitos bispos simplesmente mudaram o lugar de atuação de seus sacerdotes e tentaram esconder o fato de que eles tinham cometido esses crimes”, afirmou Walsh à BBC.
Marie Collins, outra vítima de abusos, acredita ser “terrível” o fato de um cardeal – integrante da alta hierarquia da Igreja – manifestar uma opinião desse tipo. “Ele ignora totalmente o lado da criança”, diz.

sábado, 16 de março de 2013

Livro Jogos Vorazes: Livro do Tributo - Emily Seife.


Classificação Pessoal: Bom.


Com esse guia em mãos, os fãs poderão reviver grandes emoções ficando cara a cara com os vinte e quatro participantes da 74ª edição dos Jogos e viajando pelos doze distritos controlados pela Capital, passarão por todas as etapas vividas pelos heróis da trama: desde a seleção dos jovens, passando pelos Centros de Transformação e de Treinamento, as entrevistas com o apresentador Caesar Flickerman, até a jornada para a grande arena. Senhoras e senhores, preparem seus corações para reviver a septuagésima quarta edição dos Jogos Vorazes! 

sexta-feira, 15 de março de 2013

A Sonegação de Feliciano.


N.B.: O povo quer aparecer, e esquece que quando aparece, aparece tudo mesmo!!! Hehehehehe
E ainda vai ter gente dizendo que é tudo mentira, e o pastor vai virar o perseguidinho!!!

Documentos obtidos por ISTOÉ mostram que o polêmico presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara escondeu da Justiça Eleitoral ser dono de empresas, entre elas um consórcio de imóveis que ele próprio induzia fiéis a comprar em seu programa gospel.

Claudio Dantas Sequeira e Izabelle Torres
Chamada.jpg

ENROLADO
O presidente da Comissão de Direitos Humanos, Marco Feliciano,
terá de se explicar por ter sonegado informações ao tribunal

"Realize, em nome de Jesus, o sonho da casa própria. Com apenas R$ 300 por mês você adquire um consórcio que dará uma carta de crédito de R$ 30 mil.” Era com essa frase que o deputado-pastor Marco Feliciano (PSC-SP) encerrava, até bem pouco tempo atrás, seu programa de pregações na tevê. Na tela, o sermão teatral era substituído pelo apelo comercial, enquanto números de telefones em seis capitais, inclusive Brasília, surgiam no canto da tevê com o logotipo da empresa GMF Consórcios. Quando foi questionado por estar se utilizando da fé alheia para acumular lucros, Feliciano saiu com a desculpa de que fazia apenas a propaganda de um patrocinador de seu programa televisivo. Agora se sabe que ele não falou a verdade. A GMF pertence ao próprio pastor. Foi criada em 2007 com mais três pastores. A atividade econômica era “comércio de programas de computador e serviços de internet”, mas mudou para “administração e representação comercial de consórcios de bens e direitos”. No contrato social, obtido por ISTOÉ, os sócios foram substituídos por Edileusa Feliciano, sua mulher. 


Poderia ser uma questão meramente ética ou ideológica. Uma discussão sobre a mercantilização da fé, de um pastor que se notabiliza por arrancar senhas de cartões de crédito e somas em dinheiro de milhares de fiéis. Afinal, o que esperar de um líder religioso que prega a intolerância sexual e o preconceito racial? Nada disso o impediu de assumir, após uma costura partidária atrapalhada, a presidência da Comissão de Direitos Humanos da Câmara.

Epag32a34_Feliciano-2.jpg
Trata-se da maior aberração política dos tempos recentes. E Feliciano ainda cometeu desvios graves de conduta, incompatíveis com o exercício do mandato parlamentar. Na declaração de bens que apresentou à Justiça Eleitoral em 2010, por exemplo, ele omitiu ser proprietário da GMF Consórcios. Outra empresa também ficou fora da declaração de renda de Feliciano: a Cinese – Centro de Inteligência Espiritual, um curso preparatório para concursos cujas atividades foram encerradas no fim de 2009 e deveriam constar na declaração de Imposto de Renda do ano seguinte. Entre os R$ 634,8 mil em bens declarados oficialmente pelo pastor-deputado constam apenas as empresas Kakeka Comércio de Brinquedos e Vestuário, Marco Feliciano Empreendimentos Culturais e Eventos, e Tempo de Avivamento Empreendimentos, além de cinco veículos e oito imóveis. Informações registradas em base de dados de crédito, porém, indicam ao menos outros seis endereços em seu nome. Os imóveis ficam localizados nas cidades paulistas de Orlândia, Ribeirão Preto e São Paulo. 


Os negócios tocados por Marco Feliciano e sua mulher, Edileusa, obedecem a um “modus operandi”. Primeiro, as empresas são criadas em nome de pastores que trabalham para a dupla. Em seguida, eles repassam suas cotas para Feliciano. Alguns desses ex-sócios hoje têm seus salários pagos com verba da Câmara. É o caso do pastor André Luis de Oliveira, que recebe até R$ 7 mil do gabinete de Feliciano, mas nem sequer bate ponto lá. Oliveira, na verdade, comanda o templo da Assembleia de Deus Catedral do Avivamento em São Joaquim da Barra (SP). O pastor foi um dos fundadores da GMF Consórcios, ao lado de Joelson Heber Tenório, outro assessor fantasma cujos vencimentos somam R$ 6 mil. Tenório dirige a filial da igreja de Feliciano em Ribeirão Preto. O mesmo acontece com Rafael Octavio, pastor da igreja em Franca, funcionário do gabinete com salário de até R$ 7 mil e ex-sócio na Grata Music, empresa registrada em nome da mulher de Feliciano. Além de agraciar com dinheiro público pastores amigos, eles ainda eram sócios de Feliciano quando este já era deputado, o que pode complicar ainda mais a sua situação.

Epag32a34_Feliciano-3.jpg
Na semana passada, o presidente da Comissão de Direitos Humanos esteve sob fogo cruzado. Foi divulgado também que Feliciano usou a verba de gabinete para pagar advogados de suas empresas. Rafael Novaes defende a empresa Marco Feliciano Empreendimentos Culturais na ação em que é acusada de não cumprir contratos e embolsar o dinheiro de um evento ao qual o pastor não compareceu. O advogado Matheus Bauer também está na folha de pagamento da Câmara, apesar de não trabalhar no gabinete e compor a equipe do escritório Favaro e Oliveira. O escritório recebeu mais de R$ 30 mil da verba indenizatória. 


As suspeitas de sonegação de informações sobre patrimônio e de desvios de recursos públicos podem transformar Feliciano em réu na Comissão de Ética da Câmara. Dependerá da disposição de seus colegas de Parlamento, que até agora fizeram vista grossa aos protestos contra a permanência do pastor na presidência da Comissão de Direitos Humanos e Minorias. Mas, diante das novas denúncias, já há uma movimentação nos bastidores da Casa para não só apeá-lo do cargo como questioná-lo por quebra de decoro na Comissão de Ética. Com posições que agridem garantias e direitos assegurados pela Constituição, Feliciano passou a última semana se defendendo das críticas de organizações civis. O PSC chegou a se reunir para discutir a indicação de outro nome para a comissão, mas no fim optou pelo enfrentamento. A bancada preferiu culpar as legendas que preteriram a comissão, num recado direto ao PT, que por uma década dominou o colegiado. 



Ao assumir os trabalhos da comissão na quarta-feira 13, Feliciano retirou da pauta todos os temas considerados relevantes, como a discussão sobre união estável entre pessoas do mesmo sexo. Em mais um capítulo da batalha, 11 parlamentares recorreram ao Supremo Tribunal Federal para tentar inviabilizar a gestão de Feliciano. “Apelamos para o Judiciário para impedir que a comissão se transforme em um centro fundamentalista e retrógrado”, afirma Domingos Dutra (PT-MA), antecessor do pastor no cargo.

Fotos; Celio Messias/Folhapress; Marcelo Piu/Agência O Globo

quarta-feira, 13 de março de 2013

Desarme-se!!!

Delírios de Mim Mesma.

Estou a dois passos do centésimo delírio e começo a pensar em fazer um senhor delírio em sua homenagem!!!


Cardeais Foram Escolher Papa 'no Fim do Mundo', Diz Francisco I em Bênção.

G1.

N.B.: Eu gostei dele!!! Tá certo, ele é argentino, mas nem tudo é perfeito né? Não vê eu, nasci linda ao invés de rica!!! Hehehehehe

Brincadeiras à parte, que Deus o abençoe!!!

Papa Francisco  (Foto: Reprodução Globo News)O Papa Francisco I faz sua primeira saudação após ser anunciado, nesta quarta-feira (13), no Vaticano (Foto: Reprodução Globo News)

O conclave elegeu nesta quarta-feira (13) o cardeal Jorge Mario Bergoglio, argentino, como novo Papa, Francisco I, sucessor de Bento XVI à frente da Igreja Católica Apostólica Romana.
Em sua primeira bênção, para uma Praça de São Pedro lotada apesar da chuva, o argentino, afirmou que "parece que seus colegas cardeais foram buscar o Papa no fim do mundo", em uma referência à sua Argentina natal.
Ele também agradeceu ao seu predecessor, o agora Papa Emérito Bento XVI, e pediu que os fiéis orassem pelo seu pontificado que se inicia.
Francisco I também apelou pela "fraternidade" na Igreja, em sua breve aparição na varanda central da Basílica de São Pedro.
"Rezem por mim, e nos veremos em breve", disse, acrescentando que, nesta quinta, pretende rezar para Nossa Senhora.
"Boa noite a todos e bom descanso", finalizou, sob aplausos da multidão.
Anúncio
O nome do escolhido pelos 115 cardeais foi anunciado pelo mais velho dos cardeais-diáconos, o francês Jean-Louis Tauran.

A decisão surpreendeu, pois o argentino, citado inicialmente, não aparecia nas últimas listas de favoritos, que incluíam o brasileiro Dom Odilo Scherer e o italiano Angelo Scola.
O novo Papa, um jesuíta de 75 anos, assume com a função de manter a unidade de uma igreja que, nas palavras de seu próprio antecessor, está dividida e imersa em crises.
A fumaça branca apareceu por volta das 19h08 locais (15h08 de Brasília), e foi recebida com festa pela multidão que tomava a Praça de São Pedro. Os sinos da Basílica de São Pedro tocaram.
Perfil
Nascido em 17 de dezembro de 1936, em Buenos Aires, na Argentina, Jorge Mario Bergoglio formou-se engenheiro químico, mas escolheu posteriormente o sacerdócio, entrando para o seminário em Villa Devoto. Em março de 1958, ingressou no noviciado da Companhia de Jesus (jesuítas). Em 1963, ele estudou humanidades no Chile, retornando posteriormente a Buenos Aires.

Entre 1964 de 1965, Bergoglio foi professor de literatura e psicologia no Colégio Imaculada Conceição de Santa Fé e, em 1966, ensinou as mesmas matérias em um colégio de Buenos Aires. De 1967 a 1970, estudou teologia.
Em 13 de dezembro de 1969, foi ordenado sacerdote.
Conclave
O conclave, votação secreta que escolhe o novo pontífice, foi convocado após a renúncia de Bento XVI, anunciada em 11 de fevereiro e concretizada em 28 de fevereiro.

Bento XVI saiu alegando que não tinha mais forças para a tarefa de liderar a igreja. Seupontificado foi marcado por várias crises, pelo escândalo do acobertamento da pedofilia e pelo vazamento de documentos secretos no chamado escândalo VatiLeaks.
O conclave ocorreu após dez congregações gerais de cardeais, nas quais os problemas da igreja foram debatidos exaustivamente, em meio a muitas especulações e conversas de bastidores sobre os prováveis papáveis.
A imprensa italiana afirmou que um dos principais temas das congregações foi um dossiê preparado no ano passado, a pedido do hoje Papa Emérito Bento XVI, sobre irregularidades na Cúria Romana. Cardeais estariam pressionando pelo acesso ao documento. Questionados abertamente, o Vaticano e cardeais minimizaram a importância do documento.
Renúncia de Bento XVI
O alemão Bento XVI, desde 28 de fevereiro Papa Emérito, anunciou em 11 de fevereiro que havia decidido renunciar.

Ele foi o primeiro pontífice a renunciar em mais de seis séculos, o que criou situações praticamente inéditas para a Igreja Católica Apostólica Romana.


Desde a renúncia, Bento XVI está em Castel Gandolfo, a residência de verão dos Papas, que fica a cerca de 25 km do Vaticano. Ele permanecerá lá por dois meses e depois ficará recluso num antigo convento sobre as colinas do Vaticano, com vista para a cúpula da Basílica de São Pedro.