terça-feira, 29 de janeiro de 2013

Utopia? Pode Ser. Quem Pode Sobreviver Sem o Cultivo Delas?


Trecho extraído do livro Tempo de Esperas do  Padre Fábio de Melo. 

"Nem sempre há respeito entre as religiões. Elas não se encontram. O encontro não acontece porque não estão voltados para as perguntas fundamentais que norteiam a religião. Eles se prendem nas respostas que encontram, e por isso, param nas diferenças.

As respostas são diferentes, mas as perguntas são as mesmas. Se esquecêssemos o que sabemos sobre Deus, talvez conseguíssemos recriar o mundo de forma mais harmoniosa. Deixaríamos as respostas e sobreviveríamos das perguntas. Utopia? Pode ser. Quem pode sobreviver sem o cultivo delas?"


Vocalista Admite Uso de Sinalizador, Mas Acha Que Não Causou Incêndio.

G1.

Policiais civis conferem 231 boletins de ocorrências das mortes na Boate Kiss registrados no 1º Distrito Policial de Santa Maria, no Rio Grande do Sul (Foto: Tahiane Stochero/G1)
Policiais civis conferem 231 boletins de ocorrência das mortes ocorridas em incêndio na boate Kiss, que foram registrados no 1º Distrito Policial de Santa Maria, no Rio Grande do Sul (Foto: Tahiane Stochero/G1)

O vocalista da banda Gurizada Fandangueira, Marcelo Santos, admitiu em seu depoimento à Polícia Civil que segurou um sinalizador aceso durante o show na boate Kiss, de acordo com o promotor criminal Joel Oliveira Dutra, que acompanha o caso. O músico negou, no entanto, que as faíscas do artefato tenham provocado o incêndio e disse que já havia manipulado esse tipo de sinalizador por diversas vezes em outras apresentações.
"Ele confirmou que usou e que era algo frequente nas apresentações dele, mas ele acredita que isso não tenha provocado o fogo", afirmou ao G1 Oliveira Dutra.
As causas do incêndio, que provocou a morte de mais de 230 pessoas no domingo (27), em Santa Maria (RS), são investigada pela polícia. Testemunhas relataram que o fogo começou depois que o vocalista acendeu uma espécie de sinalizador, e faíscas atingiram o teto da casa noturna. Delegados aguardam o resultado da perícia para verificar o que ocorreu e onde as chamas começaram.
O delegado Marcos Vianna, responsável pelo inquérito, disse ao G1 que uma soma de quatro fatores contribuiu para a tragédia: 1) o fato de a boate ter apenas uma saída e a porta ser de tamanho reduzido; 2) o uso de um artefato sinalizador em um local fechado; 3) o excesso de pessoas no local e 4) a espuma usada no revestimento do teto, que pode não ter sido a mais indicada e ter influenciado na formação de gás tóxico, contribuindo para as mortes.
A promotora Waleska Agostini, responsável pelo caso, disse nesta terça (29) que, ao depor à polícia, um integrante da banda "deu a entender" que o fogo não foi causado pelo sinalizador. "Ele disse que o material não tinha pólvora e que seria de fogo frio. Portanto, não teria a capacidade de queimar", afirmou a promotora, sem dizer quem foi o integrante que deu a declaração.
Na segunda, o delegado regional de Santa Maria, Marcelo Arigony, disse em entrevista coletiva que, nos depoimentos colhidos até aquele momento, ninguém havia assumido ter soltado o sinalizador.
Em entrevista ao G1 na segunda, o baterista Eliel de Lima, de 31 anos, e o guitarrista Rodrigo Lemos Martins, de 32 anos, disseram que não viram quem acionou o efeito pirotécnico e que não sabem de quem é a responsabilidade. "Não sei dizer quem começou a queima dos fogos. Normalmente é a equipe técnica que decide isso", contou Eliel, que toca com o grupo há nove meses. "Nunca gostei do cheiro que deixava. Mas somos empregados, quem manda são os donos", falou Rodrigo.
O vocalista Marcelo Santos e um responsável pela segurança do palco da banda foram presos na segunda-feira (28) por determinação judicial. Além deles, Mauro Hoffmann, um dos sócios da boate, teve a prisão temporária decretada pela Justiça por 5 dias e foi encaminhado ao Presídio de Santo Antão, a cerca de 7 km do centro de Santa Maria. Elissandro Spohr, o Kiko, que também é sócio da casa noturna, foi detido em um hospital de Cruz Alta e está sob custódia da polícia. Ele está internado para tratar uma intoxicação causada pela fumaça.
Depoimentos apontam para uso de sinalizador
Segundo o chefe da Polícia Civil do Rio Grande do Sul, delegado Ranolfo Vieira Júnior, os depoimentos prestados até o momento apontam para a versão de que o vocalista usou o sinalizador. "Tanto depoimentos colhidos por nós com o público quanto com integrantes da banda comprovam que o vocalista usou o sinalizador", afirmou.

A versão foi corroborada pelo delegado responsável pelo inquérito, Marcos Vianna, titular do 1º Distrito Policial de Santa Maria, onde os integrantes da banda foram ouvidos. Conforme Vianna, jovens que estavam na boate no dia da tragédia deram mesmo relato.
Até o momento, apenas os dois integrantes da banda presos foram ouvidos. Os demais não prestaram depoimento formal. Em entrevista ao G1, o baterista Eliel de Lima, de 31 anos, e o guitarrista Rodrigo Lemos Martins, de 32 anos, disseram que não viram quem acionou o efeito pirotécnico. 
'Fogo frio' pode queimar superfície
O G1 questionou especialistas sobre o uso do "fogo frio "em artefatos pirotécnicos. Segundo, eles, o termo "frio" não significa que o fogo de artifício não possa queimar tanto a pele quanto superfícies inflamáveis.

De acordo com Leonardo Amato Gatti, diretor-técnico da Associação Brasileira de Pirotecnia, este efeito especial para ambiente interno é considerado "frio" porque tem uma perda de calor durante o processo de combustão, o que não isenta o risco de incêndio. "Quando você acende o produto, as primeiras faíscas liberadas [na direção de baixo para cima] são quentes e podem queimar. É um material que dá combustão", explicou.
Gatti complementou que há produtos deste tipo vendidos no mercado paralelo e fabricados com materiais de baixa qualidade, com grande procura devido ao preço menor.
Sobre o uso do equipamento chamado "Sputnik", ele disse que o produto é "terminantemente proibido" de ser utilizado em ambientes fechados já que é "extremamente inflamável e gera muita fumaça".
"Nunca pode usar o Sputnik em lugar fechado ou em qualquer tipo de palco. Na embalagem vem escrita a restrição. Tem que ter, pelo menos, uma distância de 15 metros entre o artefato e as pessoas, carros ou qualquer vegetação", afirmou Gatti.
O professor de química Raphael Salles Silva, do Instituto Federal do Rio de Janeiro, explicou que o verdadeiro "fogo frio" refere-se a uma experiência química utilizada principalmente no ambiente escolar para explicar o fenômeno da absorção de solventes, como a acetona e isopropanol, sem queimar um tecido. "Quando você coloca fogo no tecido, o fogo absorve o solvente orgânico. O calor não ataca o tecido, que permanece intacto", esclareceu Silva.
'É muito prematuro responsabilizá-los'
Tanto o delegado regional de Santa Maria, Marcelo Arigony, quanto a promotora Waleska Agostini, que atua no caso, afirmaram que existe a possibilidade dos donos da boate e dos músicos serem acusados de homicídio culposo.

"É possível, mas ainda é muito prematuro responsabilizá-los. Necessito do inquérito policial concluído para tomar alguma atitude", declarou a promotora, que estimou em pelo menos 30 dias o prazo de conclusão do inquérito policial. "Por necessitar de muita prova pericial, laudos, dificilmente esse caso será solucionado antes desse prazo".
ARTE ESTATICA (resumo do caso) 620 (Foto: Editoria de Arte / G1)

Show de Insensibilidade.

Sérgio Pavarini
tumblr_inline_mhc3avWuBv1qz4rgp


Recorrendo à sigla criada por Stanislaw Ponte Preta, continua o Febeapá (Festival de Besteiras que Assola o País) depois da tragédia no município gaúcho de Santa Maria.
Como ignorância escolhe seus amantes independentemente da religião (ao contrário do que muita gente preconceituosa pensa), ateus e evangélicos babacas beligerantes aproveitam o momento triste para se digladiar. Os que não creem provocam com ataques do tipo “onde estava o Deus de vocês ao permitir essa tragédia?”, questionamento debatido há zilhares de anos com + seriedade e profundidade. Sugiro pesquisar o termo “teodicéia” no pai Google pra começo de papo.
Do outro lado, cristãos ignoram tantas reflexões pertinentes sobre a dor (C.S. Lewis, por exemplo) e registram explicações rasas e equivocadas nas redes sociais. O que falar ao ler uma estupidez como “o diabo juntou tudo e fez a colheita”? Cada bola fora é imediatamente espalhada na tentativa de provar que todos os crentes são evanjegues parvos. Ao contrário do exame de sangue, nesse caso não é possível fechar diagnósticos com base em uma gota.
As sandices perpetradas por cristãos na área de comentários de sites e blogs e nas redes sociais agora têm espaço cativo no Deus perdoa, mas…, tumblr criado recentemente para listar “pérolas gospel”. Como também acontece com as jóias, certamente há muitas pérolas falsas circulando por aí.
A falta de noção sensibilidade de alguns repórteres também foi lembrada numa charge de Latuff.

14943_4366319565266_70100859_n

Tragédias são solo fértil para disseminar “teorias conspiratórias” e a criatividade dos chamados illuminatis sempre fornece adubo nesses momentos. Um blog insinua que o acontecimento foi um “sacrifício” e lista supostas coincidências. Pra ficar em apenas 1 exemplo, o arrazoado de sandices afirma que a última música tocada antes do incêndio foi “Die young”.
Imaginar que a banda Gurizada Fandangueira fez 1 cover “gaúcho” da música gravada por Ke$ha (entre outros) é ridículo irresponsável demais.Basta uma espiada no YouTube para conhecer o repertório dos caras.
Se o sofrimento é o “megafone de Deus” como afirmou Lewis, é hora de o rebanho brasileiro se submeter a uma audiometria para discernir qual é o seu papel na vida da nação.
dicas do Felipe Costa, João Marcos, Sidnei Carvalho de Souza e Vinícius Sena
533700_499162470134786_1056338918_n
Cartaz da Banda "Gurizada Fandangueira" que estava tocando na noite da tragédia em Santa Maria, e o cidadão que soltou o sinalizador é esse que aparece ao lado do cartaz, se você tiver um pouquinho de sensibilidade espiritual, olhe ao redor da caveira tocando, cheio de pessoas em meio ao fogo, isso já estava mais que avisado que alguma coisa iria acontecer. Meu Deus... (post no perfil de um pastor)
Cartaz da Banda “Gurizada Fandangueira” que estava tocando na noite da tragédia em Santa Maria, e o cidadão que soltou o sinalizador é esse que aparece ao lado do cartaz, se você tiver um pouquinho de sensibilidade espiritual, olhe ao redor da caveira tocando, cheio de pessoas em meio ao fogo, isso já estava mais que avisado que alguma coisa iria acontecer. Meu Deus… (post no perfil de um pastor)

Coreia do Norte Enfrenta Acusações de Canibalismo Devido à Fome no País.

R7

Reprodução/thesundaytimes.co.ukReportagem do Sunday Times aponta possível crise humanitária na Coreia do Norte
Relatos aterrorizantes de norte-coreanos devorando pessoas para saciar a fome — em alguns casos os próprios filhos — tomaram conta do noticiário internacional nos últimos dias. As informações expõem o desastre humanitário pelo qual o país oriental pode estar enfrentando.
Os primeiros relatos foram publicados no último domingo (27) pelo diário britânico The Sunday Times. O jornal compilou o trabalho de repórteres independentes que foram enviados à Coreia do Norte pela agência de notícias Asia Press, com sede em Osaka, no Japão.
A Asia Press informa que possui uma rede dos chamados “jornalistas-cidadãos” dentro da Coreia do Norte. Os “citizen journalists” (termo em inglês) são pessoas comuns que atuam como jornalistas, coletando informações e produzindo notícias.
De acordo com a reportagem do Sunday Times, um homem foi recentemente fuzilado no país por ter matado e devorado seus dois filhos, no que foi descrito como um "ataque de fome".
O diário informa ainda que a fome teria matado cerca de 10 mil pessoas no país somente em 2012.
Outras histórias similares foram descritas pelos jornalistas-cidadãos. Em um dos casos, um senhor desenterrou o próprio neto e canibalizou o corpo da criança para não morrer de fome. 
Uma terceira pessoa, “enlouquecida pela fome”, diz o jornal, ferveu o próprio filho para se alimentar.
As dezenas de entrevistas e relatórios coletados levaram a Asia Press a concluir que, somente em 2012, mais de 10 mil pessoas morreram por causa da fome no país comandado por Kim Jong-un.
A agência de notícias asiática compilou um relatório de 12 páginas com os relatos de canibalismo no país.
Um membro da empresa comentou a situação norte-coreana.
— É particularmente chocante os numerosos testemunhos que nos atingem sobre os casos de canibalismo.

Sobre a Mesa.

Dizem que uma relação saudável entre um homem e uma mulher é baseada na sinceridade, mas certas verdades não podem ser simplesmente jogadas sobre a mesa.


segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

Walk - Foo Fighters.

Judaísmo: Perguntas e Respostas Sobre Jesus.

Chabad.




Por que os judeus não acreditam em Jesus?

RESPOSTA:
Por séculos os judeus foram perseguidos por sua fé e prática religiosa. Muitos tentaram impor suas idéias e aniquilar o judaísmo. Nem as cruzadas, nem a inquisição implacável, nem os pogroms conseguiram manipular nossas almas cumprindo seu intento.
O judaísmo mantém sua chama sempre viva.
A história comprova: os judeus continuam rejeitando o Cristianismo. Por quê?
Porque somos simplesmente judeus, nascemos e vivemos o judaísmo e temos nossas próprias convicções.
Mas quando judeus são seguidamente questionados sobre esta questão e não-judeus frequentemente perguntam: "Por que os judeus não acreditam em Jesus?" Preparamos alguns argumentos com o objetivo, não de depreciar outras religiões, pois respeitamos a todos e por esta razão não fazemos proselitismo, mas sim apenas para esclarecer a posição judaica.

Por que os judeus não acreditam em Jesus? Porque:
Veja também:



1. JESUS NÃO PREENCHEU AS PROFECIAS MESSIÂNICAS

O que o Messias deveria atingir? A Torá diz que ele:
a - Construirá o terceiro Templo Sagrado (Yechezkel 37:26-28)
b - Levará todos os judeus de volta à Terra de Israel (Yeshayáhu 43:5-6).
c - Introduzirá uma era de paz mundial, e terminará com o ódio, opressão, sofrimento e doenças. Como está escrito: "Nação não erguerá a espada contra nação, nem o homem aprenderá a guerra." (Yeshayáhu 2:4).
d - Divulgará o conhecimento universal sobre o D'us de Israel - unificando toda a raça humana como uma só. Como está escrito: "D'us reinará sobre todo o mundo - naquele dia, D'us será Um e seu nome será Um" (Zecharyá 14:9).
O fato histórico é que Jesus não preencheu nenhuma destas profecias messiânicas.



2. CRISTIANISMO CONTRADIZ A TEOLOGIA JUDAICA

a - D'us em três?
A idéia cristã da trindade quebra D'us em três seres separados: o Pai, o Filho e o Espírito Santo (mateus 28:19).
Compare isto com o Shemá, a base da crença judaica: "Ouve, ó Israel, o Eterno nosso D'us, o Senhor é UM" (Devarim 6:4). Os judeus declaram a unicidade de D'us todos os dias, escrevendo-a sobre os batentes das portas (Mezuzá), e atando-a à mão e cabeça (Tefilin). Esta declaração da unicidade de D'us são as primeiras palavras que uma criança judia aprende a falar, e as últimas palavras pronunciadas antes de morrer.
Na Lei Judaica, adorar um deus em três partes é considerado idolatria - um dos três pecados cardeais, que o judeu prefere desistir da vida a transgredir. Isto explica porque durante as Inquisições e através da História, os judeus desistiram da vida para não se converterem.

b - Um homem como deus?
Os cristãos acreditam que D'us veio à terra em forma humana, como disse Jesus: "Eu e o Pai somos um" (João 10:30).
Maimônides devota a maior parte do "Guia para os perplexos" a idéia fundamental que D'us é incorpóreo, significando que Ele não assume forma física. D'us é eterno, acima do tempo. É infinito, além do espaço. Não pode nascer, e não pode morrer. Dizer que D'us assume forma humana torna D'us pequeno, diminuindo tanto Sua Unidade como Sua Divindade. Como diz a Torá: "D'us não é um mortal" (Bamidbar 23:19).
O Judaísmo diz que Messias nascerá de pais humanos, com atributos físicos normais, como qualquer outra pessoa. Não será um semi-deus, e não possuirá qualidades sobrenaturais. De fato, em cada geração vive um indivíduo com a capacidade de tornar-se o Messias. (veja Maimônides - Leis dos Reis 11:3).

c - Um intermediário para a oração?
É uma idéia básica na crença cristã que a prece deve ser dirigida através de um intermediário - i.e., confessando-se os pecados a um padre. O próprio Jesus é um intermediário, pois disse: "Nenhum homem chega ao Pai a não ser através de mim."
No Judaísmo, a prece é assunto totalmente particular, entre cada pessoa e D'us. A Torá diz: "D'us está perto de todos que clamam por Ele" (Tehilim 145:18). Além disso, os Dez Mandamentos declaram: "Não terá outros deuses DIANTE DE MIM," significando que é proibido colocar um mediador entre D'us e o homem. (veja Maimônides - Leis da Idolatria cap. 1).

d - Envolvimento no mundo físico
O Cristianismo frequentemente trata o mundo físico como um mal a ser evitado. Maria, a mais sagrada mulher cristã, é retratada como uma virgem. Padres e freiras são celibatários. E os mosteiros estão em locais remotos e segregados.
Em contraste, o Judaísmo acredita que D'us criou o mundo físico não para nos frustrar, mas para nosso prazer. A espiritualidade judaica vem através do envolvimento no mundo físico de maneira tal que ascenda e eleve. O sexo no contexto apropriado é um dos atos mais sagrados que podemos realizar.
O Talmud diz que se uma pessoa tem a oportunidade de saborear uma nova fruta e recusa-se a fazê-lo, terá de prestar contas por isso no Mundo Vindouro. As escolas rabínicas ensinam como viver entre o alvoroço da atividade comercial. Os judeus não se afastam da vida, elevam-na.



3. JESUS NÃO PERSONIFICA AS QUALIFICAÇÕES PESSOAIS DO MESSIAS

a - Messias como profeta
Jesus não foi um profeta. A profecia apenas pode existir em Israel quando a terra for habitada por uma maioridade de judeus. Durante o tempo de Ezra (cerca de 300 AEC), a maioria dos judeus recusou-se a mudar da Babilônia para Israel, e assim a profecia terminou com a morte dos três últimos profetas - Chagai, Zecharyá e Malachi.
Jesus apareceu em cena aproximadamente 350 anos após a profecia ter terminado.

b - Descendente de David
O Messias deve ser descendente do Rei David pelo lado paterno (veja Bereshit 49:10 e Yeshayáhu 11:1). Segundo a reivindicação cristã que Jesus era filho de uma virgem, não tinha pai - e dessa maneira não poderia ter cumprido o requerimento messiânico de ser descendente do Rei David pelo lado paterno!

c - Observância da Torá
O Messias levará o povo judeu à completa observância da Torá. A Torá declara que todas as mitsvot permanecem para sempre, e quem quer que altere a Torá é imediatamente identificado como um falso profeta. (Devarim 13:1-4).
No decorrer de todo o Novo Testamento, Jesus contradiz a Torá e declara que seus mandamentos não se aplicam mais. (veja João 1:45 e 9:16, Atos 3:22 e 7:37).



4. VERSÍCULOS BÍBLICOS "REFERINDO-SE" A JESUS SÃO TRADUÇÕES INCORRETAS

Os versículos bíblicos apenas podem ser entendidos estudando-se o texto original em hebraico - que revela muitas discrepâncias na tradução cristã.

a - Nascimento virgem
A idéia cristã de um nascimento virgem é extraído de um versículo em Yeshayáhu descrevendo uma "alma" que dá à luz. A palavra "alma" sempre significou uma mulher jovem, mas os teólogos cristãos séculos mais tarde traduziram-na como "virgem". Isto relaciona o nascimento de Jesus com a idéia pagã do primeiro século, de mortais sendo impregnados por deuses.

b - Crucifixão
O versículo em Tehilim 22:17 afirma: "Como um leão, eles estão em minhas mãos e pés." A palavra hebraica ka'ari (como um leão) é gramaticalmente semelhante à palavra "ferir muito". Dessa maneira o Cristianismo lê o versículo como uma referência à crucifixão: "Eles furaram minhas mãos e pés."

c - Servo sofredor
Os cristãos afirmam que Yeshayáhu (Isaías) 53 refere-se a Jesus. Na verdade, Yeshayáhu 53 segue diretamente o tema do capítulo 52, descrevendo o exílio e a redenção do povo judeu. As profecias são escritas na forma singular porque os judeus (Israel) são considerados como sendo uma unidade. A Torá está repleta de exemplos de referências à nação judaica com um pronome singular.
Ironicamente, as profecias de perseguição de Yeshayáhu referem-se em parte ao século 11, quando os judeus foram torturados e mortos pelas Cruzadas, que agiram em nome de Jesus.
De onde provêm estas traduções erradas? S. Gregório, Bispo de Nanianzus no século IV, escreveu: "Um certo jargão é necessário para se impor ao povo. Quantos menos compreenderem, mais admirarão."



5. A CRENÇA JUDAICA É BASEADA NA REVELAÇÃO NACIONAL

Das 15.000 religiões na História Humana, apenas o Judaísmo baseia sua crença na revelação nacional - i.e., D'us falando a toda a nação. Se D'us está para iniciar uma religião, faz sentido que Ele falará a todos, não apenas a uma pessoa.
O Judaísmo,é a única entre todas as grandes religiões do mundo que não confia em "reivindicações de milagres" como base para estabelecer uma religião. De fato, a Torá afirma que D'us às vezes concede o poder de "milagres" a charlatães, para testar a lealdade judaica à Torá (Devarim 13:4).

Maimônides declara (Fundações da Torá, cap. 8):

"Os Judeus não creram em Moshê (Moisés), nosso mestre, por causa dos milagres que realizou. Sempre que a crença de alguém baseia-se na contemplação de milagres, tem dúvidas remanescentes, porque é possível que os milagres tenham sido realizados através de mágica ou feitiçaria. Todos os milagres realizados por Moshê no deserto aconteceram porque eram necessários, e não como prova de sua profecia.
"Qual era então a base da crença judaica? A revelação no Monte Sinai, que vimos com nossos próprios olhos e ouvimos com nossos ouvidos, não dependendo do testemunho de outros... como está escrito: 'Face a face, D'us falou com vocês...' A Torá também declara: 'D'us não fez esta aliança com nossos pais, mas conosco - que hoje estamos todos aqui, vivos.' (Devarim 5:3)."
O Judaísmo não são os milagres. É o testemunho da experiência pessoal de todo homem, mulher e criança.




6. JUDEUS E GENTIOS

O Judaísmo não exige que todos se convertam à religião. A Torá de Moshê é uma verdade para toda a Humanidade, seja judia ou não. O Rei Salomão pediu a D'us para considerar as preces de não-judeus que vão ao Templo Sagrado (Reis I, 8:41-43). O profeta Yeshayáhu refere-se ao Templo Sagrado como uma "Casa para todas as nações." O serviço no Templo durante Sucot realizava 70 oferendas de touros, correspondendo às 70 nações do mundo. De fato, o Talmud diz que se os Romanos tivessem percebido quantos benefícios estavam conseguindo do Templo, jamais o teriam destruído.
Os judeus nunca buscaram ativamente converter as pessoas ao Judaísmo, porque a Torá prescreve um caminho correto para que os gentios o sigam, conhecido como "As Sete Leis de Nôach." Maimônides explica que qualquer ser humano que observe fielmente estas leis morais básicas recebe um lugar apropriado no céu.

Para um estudo mais completo sobre as Sete leis de Nôach clique aqui.



7. TRAZENDO O MESSIAS

De fato, o mundo está desesperadamente necessitado da Redenção Messiânica. A guerra e a poluição ameaçam nosso planeta; o ego e a confusão estão erodindo a vida familiar. Na mesma extensão em que estamos conscientes dos problemas da sociedade, é a extensão em que ansiamos pela Redenção. Como declara o Talmud, uma das primeiras perguntas que um judeu recebe no Dia do Julgamento é: "Você ansiou pela vinda do Messias?"
Como podemos apressar a vinda de Mashiach? A melhor maneira é amar generosamente toda a humanidade, cumprir as mitsvot da Torá (da melhor maneira que pudermos) e encorajar outros para que as cumpram também.
O Mashiach pode chegar a qualquer momento e tudo depende de nossas ações. D'us estará pronto quando estivermos. Pois, como disse o Rei David: "A Redenção chegará hoje - se derem atenção à Sua voz."

Dono de Boate e Vocalista de Banda São Detidos Após Incêndio no RS.


Um dos proprietários da casa noturna estava em um hospital de Cruz Alta.

Dois integrantes da banda foram presos na cidade de Mata.


A polícia deteve na manhã desta segunda-feira (28) um dos donos da boate Kiss e dois integrantes da banda Gurizada Fandangueira, segundo informações do delegado Sandro Meinerz. Um incêndio no momento em que o grupo musical se apresentava na madrugada do domingo deixou 231 mortos na casa noturna de Santa Maria (RS).
Elissandro Sphor, conhecido como Kiko, um dos donos da casa noturna, foi preso em um hospital de Cruz Alta. O vocalista e um responsável pela segurança do palco da banda foram detidos na cidade de Mata. O vocalista foi detido durante o velório do gaiteiro Danilo Jaques.
Segundo o Hospital Santa Lúcia, de Cruz Alta, Sphor está em estado regular por ter inalado fumaça e deve seguir internado por dois dias. De acordo com a polícia, ele sai direto do hospital para Santa Maria.
O dono da boate e os integrantes da banda tiveram o pedido de prisão temporária de cinco dias decretada pelo juiz Regis Adil Bertolin durante a madrugada desta segunda-feira.
O outro proprietário da casa noturna também teve prisão temporária decretada, mas ainda não foi preso. Segundo a polícia, ele deve se entregar ainda nesta segunda.
"Desde a madrugada, estávamos monitorando as casas dos donos da boate e com equipes de policiais nas ruas tentando localizá-los", disse ao G1 o delegado Sandro Meinerz.
Em entrevista à Rádio Gaúcha antes da prisão de Kiko, o advogado Jader Marques disse que o dono da boate foi a Cruz Alta para se submeter a um tratamento de desintoxicação e que a viagem foi informada para as autoridades. Ele também disse que seu cliente prestou todo atendimento às vítimas.
"Esta tragédia também está marcando o Kiko e toda a sua família. Todas as pessoas naquela boate eram amigas dele. Ele esteve lá recebendo, atendendo. Perdeu funcionários", disse o advogado.
Depoimento

O dono da boate Kiss também negou tenha ordenado aos seguranças que impedissem a saída dos jovens da festa na hora que o fogo começou. Sphor, que estava na boate quando a tragédia ocorreu, negou ainda ter retirado do local o computador que armazenava as imagens gravadas pelas câmeras de segurança da boate. O gravador sumiu do local, segundo Meinerz, responsável pelo caso.
Incêndio
O incêndio começou por volta das 2h30 de domingo, durante a apresentação da banda Gurizada Fandangueira, que utilizou sinalizadores para uma espécie de show pirotécnico. Segundo relatos de testemunhas, faíscas de um equipamento conhecido como "sputnik" atingiram a espuma do isolamento acústico, no teto da boate, dando início ao fogo, que se espalhou pelo estabelecimento em poucos minutos.

O incêndio provocou pânico e muitas pessoas não conseguiram acessar a saída de emergência. A festa "Agromerados" reunia estudantes da Universidade Federal de Santa Maria, dos cursos de pedagogia, agronomia, medicina veterinária, zootecnia e dois cursos técnicos.
Pelo menos 101 das vítimas identificadas eram estudantes da Universidade Federal de Santa Maria, segundo informou a instituição em sua página na internet.
O comandante do Corpo de Bombeiros da região central do Rio Grande do Sul, tenente-coronel Moisés da Silva Fuch, disse que o alvará de funcionamento da boate estava vencido desde agosto do ano passado.
"Fatalidade"
Por meio dos seus advogados, a boate Kiss se pronunciou sobre a tragédia. A direção do estabelecimento classificou o ocorrido como uma "fatalidade", afirmou que a empresa está em "situação regular" e à disposição das autoridades. A nota foi emitida pelo grupo de advogados associados Kümmel & Kümmel, que representa os proprietários da boate.

Público
O número de total de pessoas que estavam no interior da boate Kiss no momento em que o incêndio começou ainda é desconhecido. Segundo informações da própria casa noturna, a capacidade máxima é para mil clientes.

De acordo com o delegado Sandro Meinerz, que é responsável pela perícia, informações coletadas pelas equipes de investigação dão conta de que o público na hora da tragédia era de aproximadamente mil pessoas. O Corpo de Bombeiros, no entanto, estima que o número era maior, perto de 1,5 mil.
Estudantes que sobreviveram à tragédia relataram que, inicialmente, seguranças da boate tentaram impedir a saída dos clientes, mas que logo perceberam a fumaça e liberaram a passagem.
O capitão da Brigada Militar Edi Paulo Garcia disse que a maioria das vítimas tentou escapar pelo banheiro do estabelecimento e acabou morrendo. "Tirei mais de 180 pessoas dos banheiros. Eles estavam tentando fugir", disse.


Resgate
Muitas pessoas que conseguiram sair da boate ajudaram a socorrer as vítimas. "A gente puxava as pessoas pelo cabelo, pela roupa, muita gente saía só de calcinha e cueca, muitas sem camiseta, talvez para se proteger da fumaça", disse o jovem Murilo de Toledo Tiecher.

Arte - Boate (Foto: Arte/G1)




domingo, 27 de janeiro de 2013

Tragédia em Boate de Santa Maria é 'Terceira Mais Fatal da História'.


Segundo órgão americano, apenas incidentes em casas noturnas nos EUA e na China deixaram mais mortos.





O incêndio que matou mais de 230 pessoas em uma casa noturna de Santa Maria, no interior do Rio Grande do Sul, é o terceiro mais fatal do tipo no mundo, segundo uma lista de dez incidentes semelhantes, em locais de agremiação de público, compilada pela Associação Nacional de Proteção Contra Incêndios dos Estados Unidos (NFPA, na sigla em inglês).
De acordo com a lista, que compila apenas incêndios em casas noturnas, a mais fatal delas ocorreu nos EUA e completou 70 anos há pouco tempo: o local foi a boate Coconut Grove, em Boston, e a data, 20 de novembro de 1942. O saldo foi de 492 mortos e mais de 600 feridos.
O local excedia a sua capacidade de lotação (mil pessoas) quando um incêndio teve início em uma das palmeiras de imitação que decoravam o local, espalhando-se em seguida pelas paredes e o teto do clube.
As autoridades estimaram que o fogo tardou apenas cinco minutos, desde o seu início, para percorrer o trajeto entre a sala onde se iniciou, o Melody Lounge, e a entrada, passando pelo salão de jantar.
A lista segue com o incidente ocorrido em uma boate de Luoyang, China, na noite de Natal do ano 2000, que deixou 309 mortos - o segundo acidente mais fatal da história.
Escala
A contagem se baseia nos registros da própria NFPA e, portanto, é mais útil para contextualizar, comparativamente, a escala da tragédia em Santa Maria com incidentes semelhantes no resto do mundo.

Da lista da NFPA não consta, por exemplo, um incêndio que matou mais de 200 pessoas em uma discoteca na cidade chinesa de Fuxin em 1994.
Mesmo assim, a lista permite tirar conclusões: 'Os incêndios em locais públicos terminam sendo os mais fatais quando as medidas, os sistemas e a construção adequadas estão ausentes', diz a associação.
Na compilação, se encontram vários exemplos de incidentes causados por fogos de artifício durante shows de música, que pode ter sido uma das causas do fogo em Santa Maria.
Além do uso de pirotecnia em locais fechados, outros elementos, como o número limitado de saídas de incêndio e a fiscalização inadequada do cumprimento de exigências, contribuíram para o elevado número de mortos em algumas dessas tragédias.
Veja a lista
28 de novembro de 1942 - Boate Coconut Grove, Boston (EUA)
Um incêndio em uma palmeira de mentira em um dos salãos deste tradicional clube de Boston se espalhou em questão de minutos, matando 492 pessoas. O local recebia mais gente do que a sua capacidade para mil pessoas permitia, e as portas de emergências não funcionaram adequadamente para permitir que os clientes escapassem.25 de dezembro de 2000 - Discoteca de Luoyang (China)

O fogo, que pode ter sido causado por um problema elétrico, se iniciou em um shopping e logo tomou a pista de dança da boate. O saldo foi de 309 mortos.
23 de abril de 1940 - Rhythm Club (EUA)
Mais de 700 pessoas, quase todas afroamericanas, assistiam a uma apresentação em uma casa em Natchez, Mississippi, no momento do incêndio. Acredita-se que o incidente tenha sido causado por um acidente com um palito de fósforo. Os organizadores haviam espalhado sprays altamente inflamáveis para combater os mosquitos, o que alimentou o fogo.

A tragédia resultou na morte de 207 pessoas e em leis contra a superlotação, e o episódio foi o tema de vários blues gravados nos anos seguintes.
30 de dezembro de 2004 - República Cromagñon (Argentina)
O fogo causado pela faísca de um sinalizador usado por uma banda matou 194 pessoas na boate República Cromagñon de Buenos Aires. O gerente da discoteca e dois funcionários responsáveis pela fiscalização dos estabelecimentos foram condenados a penas de 18 e 2 anos de prisão.

20 de maio de 1977 - Beverly Hills Supper Club (EUA)
A origem do fogo que matou 165 pessoas após a recepção de um casamento em Southgate, Kentucky, ainda é alvo de polêmicas. Uma investigação oficial apontou problemas como superlotação, falhas elétricas e saídas de emergência inadequadas, mas alguns defendem que o episódio pode ter sido causado deliberadamente.

18 de março de 1996 - Ozone Disco Club (Filipinas)
Segundo estimativas, havia cerca de 350 pessoas e 40 empregados dentro de um local cujo uso havia sido aprovado para 35 convidados. Muitos dos presentes eram estudantes. O episódio em Quezon City foi considerado o incidente mais fatal das Filipinas, matando 160 pessoas.

4 de dezembro de 2009 - Lame Horse Club (Rússia)
Na cidade de Perm, um show com fogos de artifício dentro de uma boate provocou uma explosão que deixou 154 mortos. Apenas cerca de um quarto das pessoas presentes no local conseguiu escapar. Muitas das vítimas acabaram morrendo asfixiadas e pisoteadas.

20 de novembro de 1971 - Club Cinq-Sept (França)
Acredita-se que o fogo em uma casa de St Laurent du Pont, no sudeste da França, tenha sido causado acidentalmente por um palito de fósforo. As chamas consumiram rapidamente a boate, por causa do material altamente inflamável da construção e dos móveis. O resultado foram 143 mortos, a maioria adolescentes.

20 de fevereiro de 2003 - The Station (EUA)
Fogos de artifício usados no show da banda Great White dentro de uma casa de shows no estado de Rhode Island provocaram um incêndio e a morte de 100 pessoas. O local foi tomado pelo fogo em menos de cinco minutos. Apenas três pessoas foram indiciadas, mas o incidente levou a mudanças nas leis de segurança em locais públicos no estado.

25 de março de 1990 - Boate Happy Land (EUA)
Um incêndio causado intencionalmente pelo ex-namorado de uma empregada do clube matou 87 pessoas em um local que funcionava sem autorização no Bronx, em Nova York. A maioria das vítimas eram hondurenhos que celebravam o Carnaval.

Fotógrafo Retrata Piores Pesadelos Que Todo Mundo Teve na Infância.

 Hypeness

Nossa infância é recheada de descobertas e dúvidas. Nossos pais para nos educar acaba por fazer pequenas “ameaças”, caso aprontemos algo, como chamar o bicho-papão, o boi-da-cara-preta e tantos outros. Acontece que esses seres imaginários não se dispersam das mentes infantis de uma hora para outra, eles começam a povoar nossos sonhos, ou pior: nossos pesadelos.
O fotógrafo Joshua Hoffine é um profissional fascinado pelo sentimento do medo e suas nuances psicológicas, e há muitos anos usa esse seu fascínio para mostrar de forma crua um mundo de horrores que mexem com nossos medos mais profundos. Com uma técnica impecável e ângulos perfeitos, as fotos nos remetem ao nosso inconsciente e nos traz lembranças de nossa infância. Confire algumas fotos desses ensaios: