sábado, 10 de novembro de 2012

‘Salve Jorge’: Aprenda o Significado das Palavras Usadas Pelos Personagens Turcos e Entenda os Costumes do País.

Extra.

Tamar, Ayla e Sarila: elas discutem a tradição de colocar garrafa no telhado
Tamar, Ayla e Sarila: elas discutem a tradição de colocar garrafa no telhado Foto: Raphael Dias / divulgação / Rede Globo

Quando chegou a São Paulo, 12 anos atrás, acompanhando o então namorado que havia sido transferido pela empresa, a turca Berna Ayata, de 40 anos, ganhou um presente de boas-vindas de uma amiga: uma enorme figa de madeira para decorar a sala. Ela agradeceu, mas, quando a visita foi embora, desatou a chorar.

— Liguei para outra amiga, dizendo: "Ela me ofendeu!". Só aí fiquei sabendo que, no Brasil, a figa significa proteção, sorte — explica Berna, pesquisadora de Gloria Perez e consultora da novela da autora, que tem um núcleo turco: — Na Turquia, é uma ofensa que pode provocar brigas e até morte. Fazer figa para alguém significa querer ter relações sexuais com ela, se for mulher, ou com alguma parente, se for homem. É uma ofensa à família.

Foi por isso que Fatma (Clarisse Derzié Luz) ficou tão horrorizada com o colar com pingente de figa ostentado por Drica (Mariana Rios) numa das cenas da trama das nove.

— Foi um choque enorme para Fatma porque jamais alguém na Turquia usaria um adorno com esse símbolo — diz Berna, que hoje, já acostumada com os costumes brasileiros, pode ser vista com colar parecido no pescoço: — Só não posso usá-lo na Turquia, ninguém entenderia (risos).

Esta é só uma particularidade da cultura turca que "Salve Jorge" vem mostrando. Veja outras, e também o significado de algumas palavras, nos quadros ao lado.

Berna explica os costumes
Hamam (banho turco): "É um a tradição milenar. Nas cidades menores, as mães levam as crianças aos domingos. Por mais que se tome banho todos os dias, a esfoliação do hamam retira a sujeira mais profunda".

Tchai (chá): "Tomamos tchai toda hora. É como café aqui. A diferença é que no Brasil perguntam: ‘quer um café?’. Lá, vem tchai sem ninguém pedir".

Circuncisão: "Todos os meninos fazem. É o primeiro passo para se tornar um homem, por isso os turcos fazem questão de festejar a data".

Garrafas no telhado: "Hoje, só umas 50 famílias fazem isso. Como antes eram as mães que escolhiam as mulheres para os filhos, para que elas soubessem que em determinada casa havia solteiras, colocavam-se garrafas no telhado".

Dicionário
Aabi: irmão
Allahalla: ô, meu Deus
Anedim: mãezinha
Babisko: paizinho
Bak: olha
Bayrun: sejam bem-vindos
Bey: senhor
Chequerem: querida
Evet: sim
Fustik: mulher bonita
Guel Burê: vem cá
Gule: tchau
Hádi: vamos, rápido
Iok: não
Kabuletê: aceito, fechado
Marshallah: que Deus o proteja
Mérabá: oi
Rariká: maravilhoso (a)
Saal: obrigado (a)
Sus: para (de falar)
Tábi: claro, sim
Tachcapá: cabeça dura
Taman: tá bom
Tchoguzel: muito bonito (a), lindo (a), gostoso (a)
Tchok: muito
Tebrik: parabéns
Varvar: que pena (lamentando)
Vaya: uau
Xerefé: saúde (para brindar)

Nenhum comentário:

Postar um comentário