domingo, 30 de setembro de 2012

Fotógrafa Havaiana Cria Retratos 'Barrocos' Debaixo d'Água.



‘Caravaggio’ submerso
A fotógrafa havaiana Christy Lee Rogers conta que aprendeu com o pai, que era surfista, a ter um profundo respeito pela água. “Por quase toda minha vida toda, eu vivi cercada de água. Sem ela, não há vida.”
E essa ‘obsessão’ permeia quase todos os seus trabalhos, como o recente Reckless Unbound, uma série de fotos que retrata movimentos e cores debaixo d’água.
“Fotografar debaixo d’água é como jogar com novas regras. Talvez seja por isso que eu goste tanto”, diz a artista. “A água reage à luz de uma maneira muito diferente do ar, muito mais devagar.”
Christy conta que usa pessoas criativas como modelos e que ensaia muito com elas os movimentos antes de iniciar a sessão de fotos.
Por sua ênfase em elementos como luz, sombra, movimento e dramaticidade, o trabalho da fotógrafa já foi comparado com pinturas do mestre do barroco Caravaggio.
As artista, que vive entre Los Angeles e Kailua (Havaí), conta que não usa recursos de tratamento de imagens, como o Photoshop em seu trabalho.
A fotógrafa Christy Lee Rogers sempre gostou de viver perto do mar e essa “obsessão” pela água está presente na maioria de sua obra, como nas fotos submersas da série Reckless Unbound.
.

Antes da sessão de fotos, ela testa vários tipos de tecidos para ver qual tem o melhor movimento na água. “Sinto como se estivesse pintando com esses tecidos”, conta.
Christy conta que prefere usar pessoas criativas como modelos para suas fotos e explica que ensaia muito com elas os movimentos antes de iniciar a sessão de fotos.
Por focar em elementos como luz, sombra e movimento, seu trabalho já foi comparado com pinturas de mestres do barroco como Caravaggio.
Ela conta que adora fazer fotos submersas, especialmente por causa da maneira que a luz reage à água.
“As pessoas sempre me pedem para explicar em palavras as minhas obras. Mas, honestamente, algumas vezes não encontro palavras perfeitas para expressar o que eu quero”, conta Christy.
Segundo ela, as fotos submersas nos levam a um universo paralelo, onde é seguro sonhar.
A fotógrafa conta que não usa recursos de tratamento de imagens, como o Photoshop, em seu trabalho.
Seus trabalhos já foram expostos em galerias da Europa e dos Estados Unidos e seu próximo projeto também envolve água. “Mas de um jeito totalmente diferente”.
A paixão da fotógrafa havaiana pela água foi despertada pela convivência com o pai surfista.
Outros trabalhos da fotógrafa podem ser vistos em seu site www.christyrogers.com.

Nenhum comentário:

Postar um comentário