terça-feira, 22 de novembro de 2011

Parada Gay em Rio Branco em Seus 15 Minutos de Fama.


Há 24 anos no Acre, o cabeleireiro carioca Carlos Duarte, 56 anos, tem consciência de que passou a experimentar a profecia do artista americano Andy Warhol (1928-1987), segundo a qual “um dia, todos terão direito a 15 minutos de fama”.

No domingo (20), na Via Chico Mendes, em Rio Branco (AC), durante a Parada Gay patrocinada pelo governo estadual, Carlos Duarte foi fotografado ao simular “boquete” (felação) num pênis de plástico com camisinha usado por outro homem.

- Admito que errei e estou envergonhado. Dizem que todo mundo tem direito a 15 minutos de fama. Tive o meu, infelizmente, mas não queria que tivesse sido da forma como aconteceu - pondera.

Publicada nas redes sociais, a foto do cabeleireiro fazendo “boquete” serviu para reacender as divergências entre gays e evangélicos e promete ser o principal assunto desta terça-feira (21) na Assembléia Legislativa do Estado.

Além de arrependido, o cabeleireiro está preocupado com a família dele, que mora no Rio de Janeiro.

- Chupar aquilo foi mesmo errado. Nem eu mesmo gosto, pois sei que as crianças precisam ser respeitadas, assim como as pessoas mais idosas - admite.

Leia a entrevista:
.

BLOG DA AMAZÔNIA - Você tem noção da repercussão que teve aquele “boquete” durante a Parada Gay?
CARLOS DUARTE - Não tinha noção até uma amiga minha telefonar e avisar que a foto estava na internet e que todo mundo estava comentando e criticando minha atitude. Fiquei até com vergonha porque não tenho costume de andar na rua e tampouco de fazer aquilo.

O que aconteceu?
Eu ia passando e parei quando vi um rapaz dançando. Ele usava um pênis de borracha com camisinha. Alguém estava lá, com uma máquina fotográfica, e me pediu para fazer pose para tirar uma foto.

Está arrependido?
Sim, muito. Fiquei muito preocupado com o que vai pensar minha família, que mora no Rio de Janeiro. Chupar aquilo foi mesmo errado. Não costumo fazer aquilo. Nem eu mesmo gosto, pois sei que as crianças precisam ser respeitadas, assim como as pessoas mais idosas.

O que foi mais inconveniente? A foto ou sua atitude?
O mais inconveniente foi realmente a minha atitude. Eu nunca fiz aquilo e não gostei da foto. Claro que não gostei porque o cara pediu para tirar a foto e eu aceitei. Mas ele jamais poderia ter publicado a foto. Se era para ele guardar, por que ele não guardou a foto?

Mas você não poderia ter evitado se recusando a tirar foto chupando e lambendo um pênis de borracha usado por outro homem?
Sim, poderia ter evitado, com certeza. Mas na hora a gente nem se toca, ainda mais que eu estava ali brincando, tinha tomado umas cervejas… Não vi mais nada. Mas sei que todas as pessoas merecem respeito, especialmente as crianças que estavam passando no local naquele momento. Estou totalmente arrependido porque sei que não deveria ter feito aquilo.

Foi a primeira vez que participou da Parada Gay?
Não, não. Na primeira foi normal, sem nenhuma confusão. Mas nessa foi diferente. Vi aquele homem em pé, com o pênis de borracha, então parei para ficar olhando e deu no que deu.

E como será na Parada Gay do próximo ano?
Nem sei mais se vou pra Parada Gay.

Por que?
Sei lá… Depois dessa estou profundamente envergonhado.

Você acha que sua atitude pode servir para que sejam intensificadas as críticas contra os gays?
Eles não deveriam fazer isso porque já estão mesmo querendo acabar com a gente. Mas não deveriam usar o que fiz para querer acabar com a Parada Gay. Os evangélicos querem acabar com as coisas. Não pode ser assim, não. Eles não mandam no mundo. Eles também têm que respeitar os outros. Sei que fui errado, mas espero que não acabem com a Parada Gay. Não acabem mesmo, mas também espero que não aconteça mais erros como o erro que eu cometi. Esse negócio de ficar se agarrando com o namorado… A gente tem que respeitar as pessoas na rua. Eu acabei fazendo isso praticamente sem noção do que estava fazendo. Estou me sentindo envergonhado. O rapaz sugeriu a foto e eu aceitei. Jamais imaginei que ele iria publicar aquela foto nas redes sociais. Ele foi muito sem vergonha, safado. Não é um pessoa confiável pra ninguém. Até pensei em mover uma ação na justiça conta ele, mas logo desisti dessa idéia. Não vale a pena. Logo vai acontecer outra coisa no Acre e todos vão esquecer o que fiz.

Durante a Parada Gay os trios elétricos acompanharam um cantor entoando hinos evangélicos. O que acha disso?
Acho que forçaram a barra demais cantando hinos, pois numa parada gay o público vai mesmo é para se divertir. Hino evangélico é pra ser cantado na igreja.

A Parada Gay no Acre tem tido patrocínio do governo estadual. Acha correto o uso de verba pública para esse tipo de evento?
Acho uma boa, pois a cidade está crescendo. Não vejo problema em usar nosso dinheiro para isso.

Você teme que sua vida no Acre possa mudar após ter aparecido simulando um “boquete”?
Creio que não porque todos vão compreender que foi um deslize de minha parte. Todo mundo erra. Por que não posso errar?

E era um pênis de plástico?
Era. Fiquei olhando aquilo no homem, me aproximei e parei. Sou tímido, calmo, não gosto de sair. A minha vida é de casa pro salão e do salão pra casa. No domingo, nem ia sair de casa, mas os meninos ficaram insistindo. Foi meu erro aceitar o convite. Admito que errei e estou envergonhado. Dizem que todo mundo tem direito a 15 minutos de fama. Tive o meu, infelizmente, mas não queria que tivesse sido da forma como aconteceu.

Foto: Altino Machado/Terra Magazine

3 comentários:

  1. Depois quando se critica estas paradas dizem que as pessoas são homofóbicas, que dizer de posturas deste tipo, somente que é uma aberração, são pessoas que não respeita ninguém, nem a si próprio, depois exigem respeito a opção sexual deles! O pior que quem patrocina estes circos é o dinheiro do Povo, tal qual aconteceu em Rio Branco no AC, que o próprio Governo do Estado bancou isto.

    ResponderExcluir
  2. senhor calos duarte vc e um imoral um homem sem afeicao,vcs queren respeito dos evangelicos mais vcs mesmo nao se respeitao.

    ResponderExcluir
  3. Acredite quem quizer akela foto diz tudo. um "cabelereiro" com a mãozinha firme
    vai que cola né....

    ResponderExcluir