terça-feira, 20 de abril de 2010

Pena de Morte Para Homossexuais de Uganda Mobiliza Entidades Internacionais.

País africano pode se juntar a outras sete nações que executam gays e lésbicas.

Morte para quem mantiver relações com um deficiente físico ou menor de idade do mesmo sexo. Esta é a punição para casos de "homossexualidade agravada" prevista em um projeto de lei apresentado ao Parlamento de Uganda no fim de 2009.

Tão logo a notícia ganhou o mundo, entidades de defesa dos direitos humanos e líderes do calibre de Barack Obama saíram a público para condenar a medida, que prevê várias outras punições para diferentes "graus" de homossexualidade.

A secretária de Estado dos EUA, Hillary Clinton, chegou a ligar para o presidente conservador de Uganda, Yoweri Museveni, para avisar que, se sancionar a lei, o país pode dizer adeus à ajuda financeira americana.
Apesar da discussão girar em torno do caso ugandês, ele não é o primeiro a prever pena de morte para homossexuais, sete países já têm leis tão duras quanto essa: Mauritânia, Nigéria, Sudão, Somália, Iêmen, Arábia Saudita e Irã prendem e executam gays e lésbicas.

O presidente Barack Obama, denunciou nesta quinta-feira (4) como odioso um projeto de lei em que propõe a pena de morte em caso de "homossexualidade agravada":

- "Estou seguro de que podemos estar de acordo de que é inaceitável atacar os gays e as lésbicas por serem o que são, seja aqui nos EUA como fora, e de forma mais extrema, em leis odiosas como as que foram propostas recentemente em Uganda."



















(Clique Na Imagem Para Ampliar)

Fonte: http://noticias.r7.com/internacional/noticias/pena-de-morte-para-homossexuais-de-uganda-mobiliza-entidades-internacionais-20100418.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário